Mauritânia ratifica eleições presidenciais para 6 de junho

Nuakchott, 20 mai (EFE).- O ex-chefe da Junta Militar e homem forte da Mauritânia, Mohammed Ould Abdelaziz, ratificou hoje o dia 6 de junho como data para as eleições presidenciais no país, apesar do pedido de adiamento da mediação senegalesa e da oposição.

EFE |

Abdelaziz, líder dos generais golpistas que chegaram ao poder em agosto de 2008, fez este anúncio em entrevista coletiva, depois de se reunir com a delegação mediadora formada pelo ministro de Assuntos Exteriores senegalês, Cheikh Tijani Gadio, e representantes da ONU e da União Africana.

Como gesto diante da mediação senegalesa, Abdelaziz anunciou que adiará sua campanha eleitoral, que deveria começar esta meia-noite, por mais 24 horas, "a fim de permitir aos mediadores que continuem seus esforços" para conciliar as vontades dos protagonistas da crise.

A Frente Nacional de Defesa da Democracia (FNDD) e o Agrupamento de Forças Democráticas (RFD), principais blocos opositores, consideram o adiamento das eleições uma de suas principais exigências para chegar a um acordo. EFE mo-er/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG