Mauritânia faz assembléia no dia 27 para definir eleições

Nuakchott, 13 dez (EFE).- O primeiro-ministro da Mauritânia, Mohammed Ould Moulay Leghdhaf, anunciou hoje que os Estados Gerais da democracia, para preparar a volta do país à ordem constitucional serão organizados no dia 27 de dezembro.

EFE |

O presidente do Alto Conselho de Estado, a mais alta instância na Mauritânia, Mohammed Ould Abdelaziz, prometera, em novembro, a devolução do poder à cidadania depois dos Estados Gerais, que definirão os critérios das eleições presidenciais.

Para a Junta Militar, esta assembléia determinará o futuro político do país e a saída da crise iniciada sob o regime do deposto Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdalahi.

Uma delegação da comunidade internacional viajou, na semana passada, à Mauritânia na busca de uma saída à crise política interna.

A delegação esteve integrada por representantes de seis organizações internacionais: União Africana, Nações Unidas, União Européia, Organização Internacional da Francofonia, Liga Árabe e Organização da Conferência Islâmica.

A União Européia tinha dado à Mauritânia um prazo até 20 de novembro para que os militares restabelecessem o antigo presidente em suas funções, sob pena de anunciar sanções econômicas contra este país.

Por sua parte, a União Africana deu outro ultimato que expirou em 6 de outubro para o restabelecimento da ordem constitucional. EFE mo-hm/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG