Rio de Janeiro, 13 jun (EFE).- O mau tempo que dominou hoje o dia na área do oceano Atlântico onde teria caído, há 13 dias, o avião da Air France com 228 pessoas a bordo frustrou hoje as buscas de mais corpos e de destroços da aeronave, informaram fontes oficiais.

As equipes de busca, que até agora retiraram do mar 50 corpos e alguns restos do avião, não viram ou resgataram nada neste sábado, segundo um comunicado divulgado hoje pela Aeronáutica e pela Marinha.

Os 12 aviões da Aeronáutica que participam das buscas chegaram a decolar da base no arquipélago de Fernando de Noronha, mas tiveram que retornar por causa da baixa visibilidade.

Os cinco navios brasileiros e franceses que estão na região das buscas, localizada cerca de 1.300 quilômetros do litoral brasileiro e cerca de 700 quilômetros da ilha de Fernando de Noronha, também terminaram o dia sem resultados.

"Desde que começamos a operação, o dia de hoje foi o que apresentou as piores condições meteorológicas para a realização das buscas. Esse cenário obrigou as aeronaves a retornar às bases e a permanecer no solo durante a maior parte do dia", segundo o comunicado.

Em entrevista, o tenente-brigadeiro Ramon Borges Cardoso, chefe do Departamento de Controle do Espaço Aéreo da Força Aérea Brasileira (FAB), admitiu que o mau tempo impediu até os trabalhos do avião R-99, que não precisa de boas condições de visibilidade por utilizar sensores especiais para buscar objetos no mar.

De acordo com as equipes de busca, a única novidade este sábado foi a informação do navio mercante "Gammagas", de bandeira de Antígua, que disse ter retirado do mar uma parte da estrutura da aeronave quando passava pela região das buscas em uma viagem entre Uruguai e Inglaterra. EFE cm/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.