Material expelido por vulcão pode cair sobre cidade chilena

Por Monica Vargas PUERTO MONTT, Chile (Reuters) - Uma enorme nuvem de cinzas quentes, gás e rocha derretida, suspensa no ar a vários quilômetros de altura, está mais baixa, o que preocupa os chilenos quanto à possibilidade dos vilarejos de Chaitén, vizinhos ao vulcão de mesmo nome, serem cobertos pelo material incandescente, disse um especialista nesta terça-feira.

Reuters |

Luis Lara, cientista da agência governamental de geologia e mineração, disse que a coluna de cinzas, antes suspensa a 30 quilômetros de altura, agora está a 7 quilômetros de distância do chão.

A nuvem era mantida no alto pela pressão das constantes erupções, mas pode despencar totalmente, cobrindo 6 quilômetros da cidade-fantasma de Chaitén com gás aquecido, cinzas e rochas derretidas.

'Estas pequenas quedas, que geram fluxos menores de material incandescente, são normais. Não são tão sérias porque afetam uma área pequena, a parte mais alta do vulcão', disse Lara.

'Mas isso não descarta o pior cenário', afirmou. 'Enquanto a coluna continuar suspensa, uma queda grande não deixa de ser uma possibilidade.'

Milhares de pessoas tiveram de esvaziar um raio de 30 quilômetros em volta do vulcão Chaitén, que fica a 760 quilômetros da capital do país, Santiago.

O Chaitén entrou em atividade pela primeira vez em milhares de anos, no dia 2 de maio. As cinzas cobriram a vegetação atingiram lagos e fiordes de cinza no sul da Patagônia -- área turística repleta de montanhas e choupanas.

Imagens de satélite mostram uma faixa branca cobrindo o sul da América do Sul. Boa parte das cinzas cobriram cidades argentinas. Elas também se depositaram no fundo no rio Chaitén, que transbordou na segunda-feira devido às fortes chuvas.

O governo da presidente Michelle Bachelet agendou para esta terça-feira o lançamento de um pacote de medidas de ajuda para as 7 mil pessoas que tiveram de deixar suas casas --algumas delas estão em abrigos improvisados em escolas e na cidade de Puerto Montt.

Muitos estão se hospedando nas casas de familiares e amigos, mas perderam seus meios de sustento e não têm idéia de quando poderão voltar a Chaitén, se é que poderão voltar.

O Chile tem a segunda maior cadeia vulcânica do mundo, perdendo apenas para a Indonésia, com cerca de 2 mil vulcões, 500 deles potencialmente ativos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG