Massacre em ONG na Colômbia deixa quatro mortos

Bogotá, 18 jul (EFE) - Quatro pessoas, entre elas um capitão do Exército e um promotor colombianos, foram assassinadas hoje em um ataque cometido por pelo menos dois desconhecidos quando as vítimas estavam na sede de uma ONG em Medellín, informaram as autoridades. Fontes policiais disseram que os dois homens invadiram de madrugada a Corporação de Desenvolvimento, Justiça e Igualdade, que presta assessoria jurídica a paramilitares desmobilizados das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC). Os desconhecidos abriram fogo contra as vítimas, entre as quais estava o capitão Gerardo Ramírez, segundo comandante de uma unidade militar contra o seqüestro no departamento de Antioquia, do qual Medellín é capital. As fontes acrescentaram que na mesma ação, registrada no bairro San Javier, do setor oeste de Medellín, também foram assassinados Javier Lozada Guzmán, promotor da organização Unidad de Reacción Inmediata (URI); o advogado Miguel López e o motorista de uma das vítimas, identificado como José Oyola. Chegaram dois agressores, atiram contra os presentes, matando duas pessoas. Três feridos foram levados ao hospital, e dois deles morreram.

EFE |

É um fato que já está sendo investigado pela brigada de controle de homicídios", disse a jornalistas o comandante de Polícia de Medellín, Dagoberto García.

O subtenente retirado do Exército John Edison Giraldo Hincapié e uma pessoa identificada como Carlos Andrés Ríos estão em um hospital se recuperando dos ferimentos.

O prefeito de Medellín (noroeste), Alonso Salazar, e outras autoridades da Polícia e do Exército visitaram a sede da ONG e anunciaram o início de uma investigação.

Algumas testemunhas disseram às autoridades que os pistoleiros fugiram em uma motocicleta, enquanto outros lembraram que a sede tinha sido inaugurada oito dias atrás. EFE rrm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG