Marroquino mata a filha porque ela vivia com italiano

Um marroquino residente no norte da Itália, contrário à relação de sua filha muçulmana de 18 anos com um italiano católico de 31 anos, matou a jovem e feriu o homem, indicou nesta quarta-feira a imprensa italiana.

AFP |

Dafani el Ketawi, de 45 anos e ajudante de cozinha na região de Pordenone, no nordeste da Itália, parou o carro do jovem italiano, Massimo de Biasio, no qual também se encontrava sua filha Sanaa.

"Os dois jovens foram imediatamente atacados. Massimo de Biasio não teve tempo nem de sair de carro. Ele levou várias facadas, mas ficou apenas ferido. Sanaa, no entanto, tentou fugir, mas levou várias facadas no pescoço", escreveu o jornal La Reppublica.

Segundo testemunhos citados pelo jornal, o marroquino já havia ameaçado de morte várias vezes o jovem italiano, que estava há semanas vivendo com Sanaa.

"É um crime horrível, desumano, inconcebível, fruto de uma guerra de religiões", reagiu nesta quarta-feira a ministra italiana de Igualdade de Oportunidades, Mara Carfagna.

"Acontecimentos horríveis como este nos levam a continuar integrando os imigrantes segundo o modelo italiano, no que cada pessoa é livre para professar sua própria fé; mas para ficar no país eles devem aceitar as regras, inclusive o respeito dos direitos humanos, inclusive o da mulher, e as leis do Estado", destacou.

ljm/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG