Uma edição da revista francesa LExpress International foi censurada no Marrocos por supostamente ofender os muçulmanos. Uma reportagem especial de capa da revista, intitulada O Choque Jesus-Maomé, discutia a relação entre Cristianismo e Islã.

O ministro da Informação do Marrocos, Khalid Naciri, disse que a edição da revista infringiu o código de imprensa do país.

A direção da revista afirmou que tentou ser sensível à opinião dos muçulmanos, mas que não entende por que foi censurada.

A capa da edição marroquina chegou a ser alterada, com a face de Maomé coberta, ao contrário da edição francesa.

O artigo 29 do código de imprensa permite que o governo feche ou censure qualquer publicação que ofenda o Islã ou o rei.

Em seu site na internet, a L'Express disse que o artigo foi publicado na véspera de um encontro em Roma entre acadêmicos cristãos e muçulmanos, para "melhorar o diálogo entre o Islã e o Cristianismo".

O editor Christian Makarian afirmou que a L'Express era a única revista francesa a publicar mensalmente uma edição sobre o Marrocos.

"Nós fomos censurados apesar desta particular atenção que mostra o nosso respeito pelo púbico marroquino e pela fé muçulmana. Eu não entendo", disse Makarian.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.