Marinheiro americano surpreendido com menor é liberado no Chile

(Atualiza com a decisão do tribunal) Santiago do Chile, 24 ago (EFE).- Um tripulante da embarcação americana USS Makin Island foi liberado depois de ter sido detido nas últimas horas de domingo no porto chileno de Valparaíso, após ser surpreendido em companhia de uma menor de 15 anos em um hotel, informaram hoje fontes policiais.

EFE |

Lester Andrew Santiago Gálvez, de 26 anos, marinheiro filipino com nacionalidade americana, compareceu hoje ao Tribunal de Garantia de Valparaíso, que decretou sua libertação e proibição de entrar no Chile por três anos.

O tribunal decidiu não condená-lo, por não haver provas de nenhum tipo de ato sexual e, por isso, não podia ser acusado pelos crimes de abuso sexual e violação.

No entanto, a dona do hotel onde o marinheiro e a menor foram surpreendidos, uma mulher de 55 anos, foi condenada pelo crime de favorecimento à prostituição e deverá cumprir pena de entre 3 e 5 anos de prisão.

Pablo Gómez, o juiz encarregado da causa, acrescentou que não descarta a existência de uma rede de prostituição infantil que esteja operando no local.

O major Sergio Lipski, da 2ª Delegacia de Carabineiros (Polícia militarizada) de Valparaíso disse que "existem antecedentes de uma pessoa que teria solicitado a menor que acompanhasse o cidadão estrangeiro, e é isso que os Carabineiros estão investigando".

O militar americano permaneceu em uma delegacia de Carabineiros até após a meia-noite (1h de Brasília de hoje), quando foi colocado sob a custódia da Marinha chilena, onde foi visitado por oficiais da embarcação e representantes do Consulado dos EUA. EFE gn-gs/an-pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG