Marinha pede ajuda a navios mercantes para localizar avião

Rio de Janeiro, 1º jun (EFE).- A Marinha do Brasil entrou hoje em contato com quatro navios mercantes que circulam pela área do Oceano Atlântico na qual desapareceu o avião da Air France que voava entre Rio de Janeiro e Paris com 228 pessoas a bordo para que ajudem a localizar a aeronave.

EFE |

Os navios mercantes "Lexa Maersk", "Jo Cedar", "Ual Texas" e "Stolt Inspiration" já foram contatados via satélite a partir de bases navais brasileiras, segundo um comunicado da Marinha.

De acordo com a nota, a Marinha tentará localizar outros navios mercantes que tenham previsto atravessar a área onde possivelmente ocorreu o acidente para que, coordenados a partir do Brasil, possam acelerar as buscas.

A Marinha já enviou três navios à região onde o avião entrou em contato pela última vez com os controladores de voo no Brasil, mas o primeiro deles só chegará à área ao anoitecer de amanhã.

"A última posição conhecida da aeronave Air France é a de latitude 00º26'59 sul e longitude 031º52'64 oeste, localizada a 421 milhas náuticas (aproximadamente 800 quilômetros) de Natal", segundo o comunicado.

De acordo com a nota, a Marinha enviou à região o navio-patrulha "Grajaú", o primeiro a seguir este rumo, além da fragata "Constituição", que partiu de Salvador, e da corveta "Caboclo", que estava em Maceió.

Os navios reforçarão as buscas iniciadas na madrugada desta segunda-feira por aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), um Hércules C-130, um P-95 Bandeirante de patrulha marítima e o Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento, que partiram da base aérea de Recife.

Segundo um comunicado da FAB, o avião da Air France fez seu último contato com os controladores brasileiros às 22h33 de Brasília, quando estava a 565 milhas náuticas de Natal, para informar que em aproximadamente uma hora depois entraria no espaço aéreo do Senegal.

De acordo com a informação, 15 minutos depois desse último contato, quando voava "normalmente a 35 mil pés de altitude e a uma velocidade de 840 km/h", o avião saiu da zona de alcance do radar do arquipélago de Fernando de Noronha (PE).

"A dificuldade das buscas é muito grande porque é uma região muito grande no meio do oceano e não temos nenhuma localização exata", afirmou o subchefe de Comunicação da Força Aérea Brasileira, coronel Jorge Amaral.

A aeronave decolou ontem à noite do Rio de Janeiro com 216 passageiros e 12 tripulantes a bordo. EFE cm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG