Pequim, 23 abr (EFE).- A Marinha do Exército de Libertação Popular chinês, corpo que reúne 250 mil efetivos, celebrou hoje seu 60º aniversário com um desfile naval no litoral leste da China.

No desfile, realizado no porto oriental de Qingdao, se destacou a presença de dois submarinos nucleares chineses, exibidos pela primeira vez ao público.

Também desfilaram submarinos convencionais, 25 navios de guerra e 31 aeronaves da Armada chinesa, em um ato liderado pelo presidente da China, Hu Jintao, que também ostenta a chefia das Forças Armadas.

Além disso, 21 navios de 14 países participaram da festa militar.

A Marinha do regime comunista nasceu em 1949 em Baimamiao (província de Jiangsu), e no começo era formada por juncos, os tradicionais veleiros chineses, usados normalmente em pesca e convertidos em navios de prospecção.

Com a proclamação da República Popular China, Mao Tsé-tung pediu a construção de uma Marinha "para lutar contra o imperialismo".

Nos anos 50, houve a construção de uma Academia Naval e a aquisição de destróieres fabricados pela então aliada União Soviética.

Desde então, o país construiu uma frota de mais de 600 navios de guerra que incluem 26 destróieres, 51 fragatas e cinco submarinos nucleares.

O "ponto fraco" da Marinha está no fato de não contar com porta-aviões, o que o Governo pretende mudar num futuro próximo.

O desfile de hoje serviu de aperitivo para a parada militar que o Exército de Libertação Popular chinês realizará no dia 1º de outubro, no centro de Pequim, para comemorar o 60º aniversário do regime. EFE abc/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.