São Paulo, 2 jul (EFE).- A Marinha brasileira continua à procura do argentino de 68 anos que sumiu há três dias em águas nacionais após um temporal na costa sul do país.

Em nota, a Marinha disse que na segunda-feira o homem chegou a ser avistado num bote salva-vidas a cerca de 90 quilômetros do litoral do Rio Grande do Sul, na fronteira com a Argentina.

Nesse dia, o náufrago emitiu um sinal de socorro. Mas, devido ao mau tempo na região, o navio de bandeira panamenha que o avistou não conseguiu socorrê-lo.

Quando o argentino foi visto pela última vez, os ventos em alto-mar eram de até 80 km/h e as ondas tinham de três e sete metros.

Assim que foi informada do caso, a Marinha enviou para a região a corveta "Imperial Marinheiro" e o navio-patrulha "Babitonga".

O Serviço de Salvamento Aeronáutico também foi contatado e disponibilizou uma aeronave para as buscas.

Segundo a Marinha, um homem que disse ser filho do náufrago identificou este como Alberto Canessa, famoso na Argentina porque desde 1997 vive em seu veleiro em Puerto Madero. EFE az/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.