A Suprema Corte dos Estados Unidos autorizou nesta quarta-feira à marinha americana a continuar com seus treinamentos no litoral da Califórnia (oeste) e utilizar um sonar cuja freqüência, segundo os ecologistas, é danosa para as baleias e golfinhos.

A principal instância do país deu razão aos militares, que consideram que os interesses da defesa nacional estão acima das exigências ambientais.

A ordem reverte assim as decisões de vários tribunais que havia se pronunciado a favor das associações de defesa do meio ambiente para que a marinha use um sonar de méda freqüência com precaução e depois de verificar se não há mamíferos marinhos num perímetro de 2 km.

Em agosto de 2007, um tribunal federal californiano concluiu que a utilização deste sonar "quase com certeza é um perigo irreparável para o meio ambiente".

lum/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.