Tamanho do texto

Brasília, 13 mai (EFE) - A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, apresentou de surpresa hoje sua renúncia irrevogável ao cargo, informaram fontes oficiais, sem explicar as razões de sua saída.

Fontes do escritório do Meio Ambiente confirmaram à Agência Efe que Marina Silva enviou a carta de renúncia ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que no documento esclarece que não aceitará continuar no cargo.

Marina, de 50 anos, dedicou sua vida política à defesa do meio ambiente, na qual se envolveu pelas mãos do líder ambientalista Chico Mendes, assassinado em 1988.

O senador Sibá Machado (PT-AC) confirmou que a ministra estava em casa e que tinha decidido que somente falará sobre sua renúncia após se reunir com o presidente.

Machado disse que não sabia as razões que a levaram a essa decisão.

Fontes do Palácio do Planalto não confirmaram a renúncia, mas disseram que Lula pretende receber hoje mesmo Marina, quem foi nomeada ministra do Meio Ambiente em janeiro de 2003, no primeiro mandato do presidente.

A relação de Marina com Lula foi se desgastando devido ao claro apoio do governante a outros ministérios que pretendiam fomentar o desenvolvimento da Amazônia.

O último ponto de conflito foi a construção de duas hidrelétricas no rio Madeira. EFE ed/db