Manifestantes reclamam contra reabertura de fábrica na Rússia

MOSCOU, 13 de fevereiro (Reuters) - Mais de 2 mil pessoas protestaram neste sábado contra a decisão de reabrir uma fábrica de papel fechada em 2008 por preocupações de que a planta estava poluindo o lago Baikal. Um número igual de manifestantes, alguns amparados por autoridades, caminharam junto ao primeiro grupo na cidade siberiana de Irkutsk para aclamar a decisão do governo tomada no mês passado de reabrir a Baikalsk Pulp & Paper Mill, recuperando 2 mil empregos.

Reuters |

A fábrica, que é a principal empregadora para os 17 mil habitantes da cidade de Baikalsk, foi fechada em outubro de 2008 depois que o governo ordenou que instalasse um sistema de drenagem para não contaminar o maior lago de água doce do mundo.

Ambientalistas dizem que os resíduos da fábrica, localizada nas margens do lago, contêm substâncias nocivas que destroem a vida selvagem do Baikal --1.500 espécies de animais e plantas, incluindo um tipo único de foca de água doce.

"Viemos aqui para mostrar que as pessoas estão contra (a reabertura)", disse à Reuters por telefone Marina Rikhanova, presidente do Movimento Ecológico Baikal, que organizou o protesto.

O primeiro-ministro Vladimir Putin sinalizou em agosto sua disposição em aumentar as restrições para evitar que a fábrica deposite os resíduos no lago após mergulhar no fundo do lago e consultar alguns cientistas.

A decisão de reabrir a fábrica, construída na era soviética, é vista como parte de um apoio maior do governo para cidades que dependem basicamente da atividade industrial, frequentemente localizadas em áreas remotas, longe das grandes cidades.

(Por Lidia Kelly)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG