MOSCOU (Reuters) - A polícia da Rússia prendeu 25 pessoas que tinham planejado um protesto, nesta quarta-feira, para exigir a remoção de um mausoléu onde está o corpo embalsamado de Valdimir Lênin na Praça Vermelha. A polícia fechou a Praça Vermelha, que fica próxima ao Kremlin no coração da capital russa, antes do ato acontecer, no 85o aniversário da morte de Lênin, um dos fundadores da União Soviética.

O grupo pretendia se vestir como múmias e se concentrar em frente ao mausoléu com um caixão feito de papel, segundo a imprensa local.

Reportagens descreveram o grupo como monarquistas ortodoxos que querem Lênin enterrado como uma pessoa comum.

O mausoléu de Lênin fica do lado de fora dos muros do Kremlin e ainda é uma importante atração turística tanto para estrangeiros como russos, mais de 20 anos depois do fim do comunismo.

"Eles estavam tentando promover uma reunião que as autoridades não haviam autorizado", disse um porta-voz da polícia.

Lênin foi o líder do partido bolchevique que tomou o poder em 1917 e estabeleceu a União Soviética, que entrou em colapso em 1991.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.