Manifestantes lembram enfrentamento de professores e polícia em Oaxaca

Oaxaca (México), 14 jun (EFE).- Milhares de pessoas lembraram hoje com uma manifestação em Oaxaca, no sul do México, os dois anos do fracassado despejo policial contra uma vigília de professores em meio ao grave conflito social vivido pelo estado em 2006.

EFE |

Na madrugada de 14 de junho de 2006, a Polícia tentou desalojar os professores que estavam acampados no centro de Oaxaca, capital do estado de mesmo nome, em protesto contra o governador Ulises Ruíz.

O confronto durou cerca de 4 horas e deixou como resultado dezenas de feridos, assim como detenções.

O incidente marcou o início de um período de seis meses de distúrbios em Oaxaca, que deixaram pelo menos 20 mortos, entre eles um jornalista americano de um veículo de comunicação independente, além de milionárias perdas econômicas.

A marcha de hoje percorreu os arredores da cidade até o centro, e terminou com um comício.

A manifestação era liderada pelo líder dos professores de Oaxaca, Ezequiel Rosales, e pelo dirigente da Assembléia Popular dos Povos de Oaxaca (APPO), Flavio Sosa, as duas facções que enfrentaram as autoridades estaduais em 2006.

Oaxaca é um dos estados com maior atraso educativo do México, maior pobreza e maior porcentagem de população indígena do país, de acordo com dados oficiais. EFE ora/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG