Bogotá, 25 out (EFE) - A grande passeata indígena chegou hoje à cidade de Cali com mais de 40 mil manifestantes que caminharam 100 quilômetros para se reunir amanhã com o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, e exigir dele o fim da violência contra suas populações e reivindicar terras que consideram de seus ancestrais. Membro do Conselho Regional Indígena do Cauca, Feliciano Valencia afirmou à Agência Efe que, ao encontro de amanhã com Uribe, chegarão mais de 50 mil pessoas, entre nativos, sindicalistas, caminhoneiros e cortadores de cana-de-açúcar, em greve desde 15 de setembro. Já estamos em Cali e ficaremos na Universidad del Valle, onde descansaremos e nos prepararemos para o dia de amanhã, disse. Os indígenas esperam se reunir com Uribe às 9h (12h em Brasília) para negociar uma agenda de cinco pontos, entre eles o grave problema de violação dos direitos humanos e a crise humanitária vivida por todas as populações indígenas. Além disso, exigem a anulação de algumas iniciativas legislativas que atentam contra a integridade territorial, trabalhista e cultural dos povos e em rejeição à assinatura de tratados de livre-comércio pelo grave e nocivo que são esses tipos de acordos, acrescentou Valencia. Outro dos pontos é o cumprimento no tema das terras, território, ressarcimento e reparação integral, além de medidas de proteção para a comunidade perseguida e uma agenda para continuar caminhando por todo o país. Valencia disse que caso não haj...

Os manifestantes também estão preocupados com várias das 102 populações indígenas que correm risco de desaparecer na Colômbia.

Desse total, 18 têm menos de 200 habitantes e dez não chegam aos 100 indivíduos. EFE fer/wr/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.