Manifestantes fecham aeroporto internacional de Bangcoc

O aeroporto internacional de Bangcoc foi fechado na noite desta terça-feira devido à ocupação do principal terminal por manifestantes contrários ao governo, anunciaram as autoridades aeroportuárias.

AFP |

Milhões de turistas passam a cada ano pelo aeroporto Suvarnabhumi, que foi fechado até nova ordem, destacou uma porta-voz.


Tailandeses ocupam o aeroporto internacional Suvarnabhumi, em Bangcoc / AP

A autoridade encarregada dos aeroportos da Tailândia (AOT) "decidiu fechar Suvarnabhumi depois que manifestantes invadiram o terminal", explicou à AFP uma porta-voz da AOT.

"As companhias aéreas já foram informadas", frisou. "Vôos serão redirecionados para Chiang Mai (norte), Phuket (sul) ou outros aeroportos, mas Suvarnabhumi foi fechado às 21H00 (12H00 de Brasília)", acrescentou a porta-voz.

Tensão

A tensão aumentou segunda-feira na Tailândia, onde manifestantes contrários ao governo estão determinados em derrubar o primeiro-ministro eleito Somchai Wongsawat, cunhado do dirigente deposto Thaksin Shinawatra.

Nesta terça-feira, cerca de 10.000 manifestantes antigoverno sitiaram as instalações temporárias que o primeiro-ministro tailandês montou no terminal de um aeroporto abandonado com o objetivo de impedir que o poder continue funcionado.

Enfrentamentos entre partidários e opositores do governo deixaram pelo menos 11 feridos nesta terça-feira em Bangcoc, segundo a polícia e um hospital. Estes incidentes aconteceram longe de Suvarnabhumi.

Entretanto, pelo menos 2.000 manifestantes anti-governo foram ao aeroporto internacional na tarde desta terça-feira, cercando o complexo e provocando engarrafamentos.


Mnifestantes ocupam o terminal abandonado que ser de gabiente ao premiê / AP

O coronel de polícia Theeradej Chanurak confirmou na noite desta terça-feira que manifestantes invadiram o terminal do aeroporto de Suvarnabhumi.

"Alguns dos manifestantes entraram nas instalações e a polícia tentou impedi-los, mas não conseguiu. Os policiais tinham sido orientados a não usar a força", destacou o coronel.

"Batalha final"

Sondhi Limthongkul, empresário e co-fundador da "Aliança do Povo pela Democracia" (PAD), afirmou no domingo que o movimento iniciaria a "batalha final" contra o governo, acusado de "corrupto" e de agir sob o comando do destituído primeiro-ministro Thaksin Shinawatra.

"Será nosso dia mais longo. Nesta guerra vamos recuperar nossa capital", afirmou Sondhi.

Thaksin foi premiê durante cinco anos, antes de ser derrubado pelos militares em setembro de 2006. Desde então permanece refugiado no exterior.

No entanto, políticos ligados a Shinawatra voltaram ao poder nas eleições legislativas de dezembro de 2007. O atual governo é comandado por Somchai Wongsawat, cunhado do ex-premier.

Wongsawat não está em Bangcoc, já que participou no fim de semana da reunião de cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia Pacífico (Apec), celebrada em Lima, Peru.

O vice-premier, Chavarat Charnvirakul, convocou uma reunião de urgência de gabinete no antigo aeroporto Don Mueang, onde o governo está instalado desde setembro, quando a sede de governo foi ocupada.

Leia mais sobre Tailândia

    Leia tudo sobre: tailândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG