Manifestantes exigem a Lugo mudanças na política social do Governo

Assunção, 12 mai (EFE).- Milhares de pessoas protestaram hoje em Assunção contra as políticas sociais do Governo do ex-bispo Fernando Lugo, em um momento em que um setor da oposição debate a tramitação de um julgamento político do chefe de Estado.

EFE |

O ato, convocado por uma plataforma de 45 organizações sociais, reuniu três mil pessoas nas praças situadas em frente ao Congresso, depois de uma passeata pelas principais ruas da capital paraguaia.

A mobilização reuniu representantes de sindicatos de professores, pequenos produtores agrícolas, indígenas, caminhoneiros, taxistas e a associação de consumidores, assim como grupos de sem-teto.

Os ativistas exigem que Lugo, que assumiu na Presidência em 15 de agosto de 2008, reduza o preço dos combustíveis e da eletricidade, vete um projeto de descentralização administrativa em estudo no Congresso e conceda empréstimos para renovar a frota de táxis da área da capital.

O protesto, durante o qual não foram registrados incidentes e que gerou engarrafamentos no horário de rush, foi vigiado por cerca de 2.500 policiais, que, no entanto, não conseguiram evitar que quatro mulheres furassem as palmas das mãos com pregos.

O ato aconteceu em um momento em que um deputado do opositor Partido Colorado, derrotado por Lugo nas eleições de 2008, depois de 61 anos no poder, desistiu de apresentar hoje um pedido de julgamento político do governante.

O presidente, por sua vez, reiterou hoje no departamento de Concepción, nordeste do país, que a Aliança Patriótica para a Mudança (APC) concluirá seu mandato em 2013.

"O Governo da Aliança vai estar até 2013, terminará bem (seu mandato) com todas as forças políticas para construir as bases de um país diferente", afirmou Lugo, ao insistir em que, "neste momento, não há nem número nem argumento" para que seja processado politicamente. EFE rg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG