Manifestantes enfrentam polícia antes de cúpula da Otan

Por Gilbert Reilhac e Lucien Libert ESTRABURGO, França (Reuters) - Centenas de manifestantes entraram em confronto com a polícia na quinta-feira na cidade francesa de Estrasburgo, onde a Otan realiza uma reunião de cúpula na sexta e sábado.

Reuters |

A tropa de choque usou gás lacrimogêneo contra jovens encapuzados, forçando-os a recuar para seu acampamento. Um policial acuado chegou a sacar sua arma. Na sua tentativa de chegar ao centro da cidade, os manifestantes quebraram vitrines, vandalizaram carros e montaram barricadas em uma rua.

"Mediadores no acampamento estão tentando conversar com os ativistas e a polícia para acalmar a situação", disse Reiner Braun, um dos organizadores do movimento anti-Otan, acrescentando que a polícia estava proibindo as pessoas de entrar ou sair do acampamento.

Braun disse que o movimento não tem "simpatia pelo vandalismo", e os líderes dos protestos afirmam que seu objetivo é levar o caos ao evento por meios pacíficos. A polícia, no entanto, alerta que os confrontos registrados nesta semana em Londres por ocasião da cúpula do G20 podem acirrar os ânimos.

Os manifestantes atacaram um veículo policial que por acaso cruzou seu caminho. Um jovem mascarado enfiou uma vara pelo parabrisa. Um dos dois ocupantes sacou sua arma e a apontou para cima, dando tempo para que o motorista manobrasse e fugisse.

Mais tarde, dezenas de manifestantes foram detidos e colocados de bruços antes de serem levados embora. Jornalistas foram impedidos pela polícia de se aproximar do acampamento.

O presidente dos EUA, Barack Obama, chega na sexta-feira de manhã à França e deve participar de dois eventos em Estrasburgo antes de se dirigir a Baden Baden, no outro lado da fronteira com a Alemanha. França e Alemanha organizam a cúpula conjuntamente.

Cerca de cem pessoas participaram de uma manifestação pacífica em Baden Baden, pedindo menos gastos militares e mais ajuda contra a pobreza.

As forças de segurança tentam restringir o acesso às duas sedes da cúpula. Cerca de 20 mil manifestantes são esperados na sexta-feira na cidade alemã.

Rainer Wendt, diretor do sindicato alemão de policiais DpolG, disse que a situação ficou mais tensa por causa da morte de um homem durante os protestos de quarta-feira à noite em Londres contra o G20, em circunstâncias ainda obscuras.

(Reportagem adicional de Sophie Hardach em Estrasburgo e Kerstin Gehmlich e Madeline Chambers em Berlim)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG