Manifestantes destroem parte de barreira da Cisjordânia

Um grupo de manifestantes destruiu nesta sexta-feira na cidade de Bilin um trecho da barreira erguida por Israel na fronteira com a Cisjordânia, informou a agência palestina independente Maan.

iG São Paulo |

A destruição de parte da barreira ocorreu durante uma manifestação que contou com a participação de 2 mil pessoas para comemorar o quinto aniversário das manifestações que acontecem semanalmente em Bilin contra a barreira.

AFP
Manifestantes destroem trecho da barreira da Cisjordânia

Manifestantes destroem trecho da barreira da Cisjordânia

Um dos participantes da manifestação foi o primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Salam Fayyad.

Guardas de fronteira israelenses atiraram granadas de gás lacrimogêneo para dispersar militantes que atiravam pedras e conseguiram penetrar numa base militar próxima, causando prejuízos materiais.

A barreira erguida por Israel na Cisjordânia tem alguns trechos com alambrados e outros formados por um muro de concreto. Apresentada por Israel como uma "cerca antiterrorista", a barreira, que deve se estender ao final de sua construção por mais de 650 quilômetros, é qualificada de "muro do apartheid" pelos palestinos. Ela invade a Cisjordânia e torna extremamente problemática a criação de um Estado palestino viável.

Em 9 de julho de 2004, a Corte internacional de justiça (CIJ) considerou ilegal a construção da barreira e exigiu sua desativação. A mesma reivindicação foi feita em seguida pela Assembleia Geral da ONU.

A construção da barreira foi reiteradamente denunciada por organizações de defesa dos direitos humanos, que acusam Israel de impedir a liberdade de circulação dos quase três milhões de palestinos que vivem na Cisjordânia.

*Com informações da EFE e AFP

Leia mais sobre Israel

    Leia tudo sobre: israelpalestinos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG