Bangcoc, 4 abr (EFE).- Cerca de 30 mil manifestantes da frente política chamada camisas vermelhas ocuparam hoje o coração da capital da Tailândia após desafiar, pelo segundo dia consecutivo, o aviso do Governo de que já passaram o limite tolerado.

Os partidários da Frente Unida para a Democracia e contra a Ditadura, a plataforma criada por políticos afins ao ex-primeiro-ministro deposto Thaksin Shinawatra, pretende mediante esta ação obrigar o Governo a dissolver o Parlamento e convocar eleições antecipadas.

As autoridades de Bangcoc e chefes da Polícia devem neste domingo se reunir com os líderes dos "camisas vermelhas" para pedir a eles que instem a seus correligionários a se retirar do principal distrito comercial da metrópole tailandesa.

Dezenas de lojas, grandes shoppings e restaurantes, fecharam ontem suas portas ao público por temor que a ocupação da região por parte dos manifestantes desembocasse em distúrbios, enquanto os hotéis extremaram as medidas de segurança e recomendaram prudência a seus hóspedes.

O Centro para a Administração da Paz e da Ordem, organismo especial criado pelo Governo para supervisionar a segurança durante a campanha de protestos que começou no dia 14 de março, advertiu os manifestantes que a ocupação do coração da capital transgride a Lei de Segurança Interna declarada no mês passado, e que autoriza a intervenção do Exército.

Em mensagem divulgada pela televisão estatal, o ministro adjunto à chefia do Executivo, Sathit Wongnongtoey, disse que a ação dos "camisas vermelhas" "deixou de ser legal já que acontece em uma área comercial e portanto causa numerosas perdas econômicas e prejudica a sociedade".

A ocupação do coração de Bangcoc irritou o primeiro-ministro, Abhisit Vejjajiva, que em sua chegada ontem à localidade de Hua Hin, a cerca de 100 quilômetros ao sul da capital para presidir a primeira Cúpula do Mekong, advertiu à frente que tinha passado da linha da tolerância.

O Ministério das Finanças estimou em 10 bilhões de bats (cerca de US$ 312,5 milhões), as perdas que ocasionará a ocupação dessa região de Bangcoc, se esta durar uma semana O Governo de Vejjajiva desdobrou em Bangcoc cerca de 50 mil soldados das forças de segurança durante a nova jornada de protestos, formadas majoritariamente por tailandeses procedentes de meio rural. EFE mfr/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.