Manifestantes argentinos liberam ponte para torcida contra o Uruguai

A disputa entre as seleções de futebol da Argentina e do Uruguai, nesta quarta-feira, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, levou manifestantes argentinos a anunciarem a liberação temporária do trânsito na principal ponte que liga os dois países. A vitória vale a última vaga para classificação automática para a Copa da África do Sul, entre as seleções sul-americanas.

BBC Brasil |

Moradores da cidade argentina de Gualeguaychú bloqueiam o trânsito na ponte General San Martín, em frente à cidade de Fray Bentos, no Uruguai, há cerca de três anos.

O bloqueio é um protesto contra a construção de uma fábrica de pasta de celulose - em espanhol "papelera" - do lado uruguaio, às margens do rio Uruguai, compartilhado pelos dois países.

O tráfego será permitido somente para a passagem daqueles que mostrem a entrada para o jogo, no estádio Centenário, em Montevidéu, a capital uruguaia.

"A passagem só será liberada para os que exibam seus bilhetes", disse a secretária da Assembleia Cidadã de Gualeguaychú, Susana Padín, em entrevista à agência oficial Telam.

A previsão é de que o tráfego também seja livre, no dia seguinte, para o retorno dos torcedores do Uruguai para a Argentina.

"Seja pelo motivo que for, eu aplaudo o fato de que o bloqueio seja suspenso", disse o ministro uruguaio de Transporte e Obras Públicas, Víctor Rossi, em entrevista ao jornal Clarin.

Disputa
O protesto começou, em 2006, logo após o anúncio da construção da empresa Botnia, que já funciona a todo vapor.

Desde então, com alguns intervalos de suspensão em 2006, a espera de um acordo entre os dois governos, carros, ônibus e ambulâncias não passam pelo local, de acordo com a imprensa dos dois países.

A disputa está sendo analisada pela Corte Internacional de Justiça de Haia que deve entregar um parecer final em 2010.

O governo argentino apelou ao máximo tribunal argumentando que os vizinhos violaram um tratado da década de 1970, que estipula que todos os assuntos ligados ao rio devem ser discutidos entre os dois governos.

Carnaval
Esta região é um centro turístico, frequentado, principalmente, por argentinos e uruguaios.

Em Gualeguaychu, tradicionalmente, é realizado o principal carnaval argentino. Em Frey Bentos, concentram-se casas de veraneio.

As diferenças em torno da fábrica geraram um confronto político e diplomático entre os dois países. Quando era presidente, Nestor Kirchner, marido e antecessor da presidente Cristina Kirchner, esteve no local e apoiou o protesto próximo ao rio Uruguai.

"Esta é uma questão ambiental, que diz respeito aos argentinos e aos uruguaios", disse Kirchner, na ocasião.

O governo uruguaio do presidente Tabaré Vázquez evitou as discussões com o governo vizinho, mas não cancelou a obra, argumentando que estudos comprovaram que ela não poluirá o ambiente.

A palavra final promete ser da Corte de Haia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG