Um homem morreu durante um protesto no centro financeiro de Londres nesta quarta-feira, véspera da cúpula do G20, informaram os serviços de emergência da capital britânica.

O homem caiu no chão inconsciente, ao que outro manifestante chamou uma ambulância, indicou uma porta-voz dos serviços de emergência. Ele ainda respirava quando foi atendido, mas morreu pouco depois, apesar de várias tentativas de ressuscitá-lo.

A Scotland Yard informou que o homem caiu dentro dos limites de um cordão de isolamento da polícia na rua St Michael's Alley, perto do Banco da Inglaterra, onde milhares de manifestantes anti-capitalismo se concentraram para protestar contra a cúpula do G20, que discutirá a crise financeira mundial.

Ainda não se sabe exatamente o que teria causado a morte do manifestante. Mais cedo, algumas pessoas ficaram feridas quando participantes do protesto entraram em choque com uma barreira da polícia perto do Banco da Inglaterra.

"Recebemos uma ligação de emergência às 7H24 PM (18H24 GMT) de um participante da concentração, indicando que um homem havia caído e estava inconsciente, mas respirando", declarou.

"Às 7H30, fomos informados pela polícia de que um homem no mesmo local havia parado de respirar", acrescentou.

Ele foi levado para um local mais calmo, longe do protesto, onde um agente da polícia deu início aos procedimentos de primeiros-socorros e ressuscitamento com desfibrilador antes da chegada dos paramédicos.

"Eles fizeram todos os esforços para ressuscitá-lo lá e no caminho para o hospital", relatou a porta-voz.

Segundo a polícia, 63 pessoas foram detidas nos protestos desta quarta-feira em Londres, na véspera da reunião dos principais líderes mundiais para analisar a resposta à crise financeira global.

As autoridades revelaram que ao menos 4 mil manifestantes foram hoje a City, o setor financeiro no coração de Londres, para exigir mais ajuda aos pobres e punições para os banqueiros, acusados de gerar a crise.

Alguns manifestantes atacaram o prédio do Royal Bank of Scotland (RBS), quebrando vidraças e jogando para fora vários objetos, incluindo computadores.

A polícia de choque, que protegia o prédio, foi atacada com garrafas, latas de cerveja e ovos.

Em torno do Banco da Inglaterra, os ativistas dispararam rojões contra os policiais, que reagiram com golpes de cassetete.

A Scotland Yard mobilizou 5 mil homens para controlar os protestos e garantir a segurança dos 20 líderes mundiais.

ar/ap/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.