Manifestações prendem milhares de estrangeiros na Tailândia

Bangcoc, 28 nov (EFE).- Os milhares de estrangeiros que ficaram presos na Tailândia em meio aos protestos antigovernamentais que bloquearam os aeroportos finalmente começaram a sair do país, em aviões que decolam de uma base da Aeronáutica a 140 quilômetros ao sudeste da capital Bangcoc.

EFE |

O Departamento de Aviação Civil tailandês conseguiu hoje permissão para 40 vôos, o dobro dos permitidos na véspera, que partirão da base naval de U-Tapao.

Companhias aéreas como Thai Airways International, Malaysia Airlines, AirAsia, Jetstar Asia e EVA Airways compartilham a única pista de aterrissagem e decolagem construída pelo Exército americano em U-Tapao durante a Guerra do Vietnã.

As autoridades tailandesas não deram nem um número aproximado de turistas afetados pela crise política, embora se saiba que 125 mil passageiros passaram por dia pelo aeroporto de Suvarnabhumi, um dos dois tomados pelos protestos.

Na quarta-feira, cerca de 4 mil viajantes foram evacuados de Suvarnabhumi, quando os seguidores da opositora Aliança do Povo para a Democracia tomaram o aeroporto.

Fontes dos aeroportos e de agências de viagem calcularam, por sua parte, que pelo menos 10 mil turistas foram afetados pelo cancelamento dos vôos somente na quarta, primeiro dia de bloqueio nos terminais aéreos.

Países vizinhos à Tailândia, como Malásia e Vietnã, iniciaram operações para resgatar seus cidadãos em Bangcoc.

Fontes diplomáticas européias indicaram que as embaixadas dos países de União Européia em Bangcoc se limitam, por enquanto, "a assistir seus cidadãos da melhor maneira possível".

Até o momento, além da possibilidade de chegar por terra à Malásia e ao Camboja, também se pode deixar a Tailândia pelos aeroportos internacionais de Phuket, no sudoeste do país, e Chiang Mai, cerca de 600 quilômetros ao norte de Bangcoc.

A Thai Airways Internacional, principal companhia aérea tailandesa, que operava uma média de 140 vôos diários em Suvarnabhumi, transferiu seus serviços a Don Muang, utilizado, até então, somente para vôos nacionais.

Quando este aeroporto também caiu em mãos dos opositores, passou a U-Tapao e buscou outras alternativas.

O primeiro-ministro Somchai Wongsawat declarou ontem estado de exceção nos aeroportos tomados pela oposição, em uma tentativa de recuperar o controle de ambos por uma operação de despejo a cargo da Polícia e com apoio de soldados da Força Aérea e da Marinha.

Cerca de 14,5 milhões de turistas anuais sustentam uma indústria que movimenta cerca de US$ 16 bilhões por ano na Tailândia. EFE grc/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG