Manifestações em Trípoli pela prisão de um filho de Khadafi na Suíça

Dezenas de pessoas se manifestaram nesta quarta-feira diante da embaixada da Suíça em Trípoli para denunciar os maus-tratos sofridos por um dos filhos do número um líbio, Muammar Khadafi, durante sua prisão no último dia 15 em julho, em Genebra.

AFP |

Cerca de 200 membros dos comitês revolucionários, a base do regime do coronel Khadafi, entregaram ao embaixador suíço um comunicado ameaçando seu país com represálias se não forem apresentadas desculpas oficiais à Líbia.

"Em nenhum momento quisemos ferir os sentimentos do povo líbio", declarou o embaixador suíço Daniel Von Muralt, em uma declaração à imprensa, acrescentando que uma delegaçã suíça irá a Trípoli para tentar de acalmar a tensão diplomática.

Hannibal Khadafi, o quarto filho do dirigente líbio, e sua mulher foram presos no hotel de luxo Presidente Wilson, em Genebra, depois da denúncia de duas arrumadeiras que os acusavam de tê-las agredido.

Segundo o jornal suíço Le Matin, Hannibal foi indiciado por lesões corporais simples, ameaças e coação.

Dois seguranças que se opuseram às forças da ordem também foram detidos.

Paul Gully-Hart, o advogado do casal, informou à agência de notícias suíça ATS que 200.000 francos suíços foram pagos de fiança para a libertação de Hannibal Kadafi e 300.000 francos por sua esposa, acusada de fatos mais graves.

afg-ila/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG