Pelo menos 14 pessoas morreram e mais de 550 foram presas durante as violentas manifestações que sacudiram Kampala nos últimos três dias, anunciou neste domingo a polícia local.

Os protestos explodiram na quinta, quando partidários do "Kabaka" Ronald Muwenda Mitebi II, venerado soberano dos Bagandas, a principal etnia do país, se manifestaram de forma espontânea nas ruas de Kampala.

Os manifestantes protestavam pelas dificuldades impostas para o deslocamento de seu soberano tradicional a um distrito do noreste de Kampala, uma visita a que se opõem os membros da pequena tribo dos Banyalas.

Os Bagandas acusam o governo de apoiar os Banyalas para impedir a visita real, proibida pela polícia e finalmente cancelada.

Os protestos resultaram em graves distúrbios e mergulharam o país numa crise política.

str-hba/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.