Jovens que saíram às ruas para protestar contra Parada Gay entraram em confronto com a polícia em Belgrado

Confrontos entre policiais e jovens que protestavam contra a primeira Parada do Orgulho Gay, realizada neste domingo em Belgrado, capital da Sérvia, deixaram mais de 50 pessoas feridas.

Manifestações contrárias à Parada Gay deixaram feridos e presos
AFP
Manifestações contrárias à Parada Gay deixaram feridos e presos
De acordo com a agência Associated Press, fontes do hospital de emergência de Belgrado disseram que 140 ficaram feridos enquanto mais de 200 foram presos.

Na manifestações contrárias ao desfile que reuniu 1 mil participantes - e teve de ser feito sob forte esquema de segurança - a polícia prendeu diversos manifestantes contrários à Parada Gay. Antes do início da parada, grupos contrários à manifestação atacaram policiais com pedradas, garrafas e tijolos em diferentes acessos às ruas do desfile, no centro da cidade, onde ficam prédios de várias instituições públicas.

Mais de 200 foram presos durante manifestações contra Parada Gay em Belgrado, na Sérvia
AP
Mais de 200 foram presos durante manifestações contra Parada Gay em Belgrado, na Sérvia
Cerca de 5 mil policiais fazem a segurança do centro da cidade, em função do evento. Helicópteros também auxiliam na operação. Na praça de Slavija, agentes utilizaram gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes. Mais tarde, o mesmo grupo destruiu um veículo policial e quebrou vidros de dois ônibus.

Em outras regiões do centro, extremistas quebraram contêineres, automóveis e postes de energia elétrica. Eles também incendiaram o prédio da sede do Partido Democrático (DS), o principal da coalizão governante.

Desfile

O ministro para os Direitos Humanos e das Minorias, Svetozar Ciplic, assim como outros membros do governo e deputados sérvios, representantes de ONGs e internacionais, participaram da passeata. Ao fim do desfile, os participantes se reuniram no Centro de Cultura Estudantil, no centro de Belgrado, onde realizam uma festa.

A Igreja Ortodoxa sérvia se mostrou contrária à organização da Parada Gay e da expressão pública da orientação sexual, mas também condenou a violência contra os participantes da passeata.

Algumas organizações ultradireitistas exigiam das autoridades o cancelamento "da vergonhosa e desnecessária" manifestação, e realizaram protestos "em defesa da família" e "passeatas de resposta" ao desfile dos homossexuais.

Nos últimos dias, Belgrado e outras cidades sérvias têm sido palco de manifestações contrárias aos direitos gays, com inúmeros cartazes com mensagens ofensivas e ameaças aos homossexuais. 

*Com EFE e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.