Manifestação por reféns reúne centenas de pessas em frente à Casa Branca

Washington, 20 jul (EFE).- Centenas de manifestantes, a maioria deles colombianos, se reuniram hoje em frente à Casa Branca, sob um sol forte, para pedir a libertação de todos os seqüestrados na Colômbia.

EFE |

Durante o ato, os presentes agitaram bandeiras colombianas, tocaram músicas típicas e proferidas palavras de ordem como "Libertem eles já, já, já" e "Viva o Exército, viva a Polícia".

Entre os manifestantes, estava Jo Rosano, mãe de Marc Gonsalves, um dos três americanos que estavam em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e foram resgatados no último dia 2, junto com a franco-colombiana Ingrid Betancourt e mais 11 militares e policiais colombianos.

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), o chileno José Miguel Insulza; o embaixador da Colômbia na OEA, Camilo Ospina; e diplomatas de Peru, Panamá, Chile, EUA e Guatemala também marcaram presença no protesto.

"Precisamos dizer às Farc para devolverem à Colômbia sua gente", disse Rosano, que prometeu continuar trabalhando pela causa até que todos os presos sejam libertados ou resgatados.

Rosano, de 59 anos, descreveu à Agência Efe os mais de cinco anos de cativeiro do seu filho como um "autêntico inferno", apesar de ter mantido a esperança durante todo o tempo.

Já Insulza elogiou o fato de os colombianos, dentro e fora de seu país, terem decidido celebrar o Dia da Independência "exigindo a liberdade dos seus compatriotas cruelmente seqüestrados há vários anos".

O secretário-geral da OEA afirmou que esta é uma causa "nobre" que une "todos os habitantes das Américas".

"Todos queremos que termine a situação de seqüestro na Colômbia, todos queremos a paz na Colômbia, todos queremos a liberdade de todos os colombianos", acrescentou. EFE tb/bm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG