Líder sul-africano foi internado com dores abdominais e passou por uma cirurgia, segundo a BBC

selo

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, de 93 anos, está em situação estável após ter sido submetido a uma operação abdominal, segundo apurou a BBC. As autoridades sul-africanas afirmaram que Mandela foi hospitalizado de madrugada por causa de dores abdominais de longa data , para a qual os médicos indicaram "uma atenção médica especializada".

Mandela e a família posam para foto em sua casa em Qunu, na África do Sul (17/07/2011)
AP
Mandela e a família posam para foto em sua casa em Qunu, na África do Sul (17/07/2011)
Fontes afirmaram à BBC que o ex-presidente está consciente e falando e deve deixar o hospital neste domingo. As autoridades locais também pediram que seja respeitada a privacidade de Mandela.

Em um comunicado, o atual presidente da África do Sul, Jacob Zuma, afirmou que "o amor e os bons desejos de todos os sul-africanos e do povo de todo o mundo estão com Mandela".

Ameaças de prisão
O ex-presidente, cuja saúde vem se deteriorando nos últimos tempos, se retirou da vida pública há oito anos. Em janeiro do ano passado, Mandela havia sido hospitalizado para o tratamento de uma grave infecção pulmonar.

A última aparição pública de Mandela foi na Copa do Mundo de 2010, jogada na África do Sul.

O comunicado oficial do governo não informou em que hospital Mandela foi internado, mas algumas informações sugerem que teria sido em um hospital militar em Pretória, a capital do país.

Jornalistas que se concentraram em frente ao hospital receberam ordens para se retirarem do local e foram ameaçados de prisão caso não cumprissem as ordens.

Leia também:
'Mandela quer que lutas justas continuem'
Em livro, Mandela afirma: 'não sou santo'

"Problema antigo"
"Posso assegurar que o ex-presidente está em bom estado de espírito e bem", afirmou Mac Maharaj, porta-voz da Presidência.

Ele disse à BBC que outras informações sobre o ex-presidente seriam divulgadas assim que a família de Mandela e Zuma recebessem um relatório médico completo, mas garantiu que a vida dele não corre perigo.

"Isso era um problema antigo - nada que tenha aparecido de repente e que precisasse de atenção de emergência", afirmou Maharaj, que foi colega de prisão de Mandela em Robben Island na época do apartheid.

"Mas essa é uma questão sobre a qual os médicos que o tratam sentiram necessidade de atenção especializada, então as providências de acordo foram tomadas", disse.

Ele não confirmou relatos de que Mandela teria sido submetido a uma cirurgia de hérnia e apelou para a "cooperação do público e da mídia".

Segundo o correspondente da BBC na África do Sul Andrew Harding, o governo está claramente tentando controlar o fluxo de informações após outros episódios relacionados à saúde do ex-presidente gerarem especulações.

Mandela, que recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1993 pela sua luta contra o apartheid, foi eleito em 1994 o primeiro presidente negro da África do Sul. Ele governou o país até 1999, quando deixou o cargo após o cumprimento de um mandato.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.