Johanesburgo, 20 jan (EFE).- O ex-presidente sul-africano e Prêmio Nobel da Paz Nelson Mandela lembrou hoje de sua própria posse, em 1994, como primeiro líder negro da África do Sul, durante as celebrações que levaram Barack Obama ao poder nos Estados Unidos.

"Tudo hoje se parece muito com a agitação e o entusiasmo do meu povo no momento da transição à democracia", quando com terminou o apartheid, disse Mandela em uma carta enviada a Obama.

Em sua carta, divulgada pela Fundação Nelson Mandela, o ex-governante se uniu "aos milhões de pessoas que lhe felicitam no mundo", e assegura a Obama que, com sua posse como primeiro governante negro à frente da maior potência mundial, aconteceu um momento "verdadeiramente histórico".

Além de se mostrar "orgulhoso" da origem africana de Obama, cujo pai era queniano, Mandela indicou ao novo presidente dos Estados Unidos que, com "sua nova voz de esperança", será possível enfrentar o conflito e problemas como a desigualdade, a pobreza e a injustiça, "que pareciam impossíveis de resolver".

O ex-governante, que passou 27 anos na prisão e é símbolo mundial da luta pela liberdade, desejou "força" a Obama para enfrentar os "desafios que lhe esperam", e manifestou seu afeto "como um homem jovem que desafiou um sonho e perseguiu esse sonho", até se transformar no primeiro presidente negro dos EUA. EFE cho/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.