Tamanho do texto

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela comemorou nesta sexta-feira seu aniversário de 90 anos pedindo que os ricos façam mais pelos pobres. Se você é pobre, você não tem chances de uma vida longa, disse Mandela em uma entrevista na sua casa na Província do Cabo Oriental, na África do Sul.

"Há muitas pessoas na África do Sul que são ricas, que podem dividir as riquezas com as pessoas que não são tão afortunadas, que não conseguiram vencer a pobreza", afirmou.

"Se você olhar em volta, mesmo nas cidades, não apenas no campo, existe muita pobreza."
Mandela acrescentou que gostaria que os sul-africanos pudessem ter uma vida longa como a dele.

"Estou muito feliz por ter vivido até agora e espero que muitos sul-africanos e outras pessoas no mundo vivam assim para que possam ser admiradas", afirmou.

De Klerk
O aniversário do ex-líder sul-africano terá uma comemoração oficial no sábado na África do Sul. Moedas comemorativas e selos já foram lançados no país, segundo a repórter da BBC Catherine Davis.

As felicitações pelos 90 anos de Nelson Mandela estão chegando de todas as partes.

O último presidente sul-africano da minoria branca, F. W. de Klerk, que ganhou o prêmio Nobel da Paz junto com Mandela em 1993, foi um dos que prestaram homenagem ao aniversariante.

Ele afirmou que o ex-líder sul-africano "nasceu para ser um líder". "Ele tem a segurança, a humildade e a graça de um aristocrata natural e verdadeiro."
Segundo De Klerk, como presidente, Mandela "usou seu charme pessoal (...) para modelar nossas comunidades amplamente diversas em uma nação multicultural".

Tutu
O arcebispo Desmond Tutu, amigo pessoal de Mandela e também ativista contra o apartheid, enviou sua bem-humorada mensagem de aniversário, chamando Mandela de "Madiba" (ancião tribal).

"Maravilhoso, maravilhoso presente para nós! Graças a Deus, que o Senhor nos deu Madiba. Hey, Madiba, aproveite seu aniversário e fique por aqui um pouco mais", afirmou Tutu entre risos.

Mandela foi condenado à prisão em 1964 por militar contra o apartheid. Ele só foi libertado em 1990, tornando-se, em 1994, o primeiro presidente negro da África do Sul.

Ele ganhou reconhecimento internacional por sua luta pela reconciliação entre brancos e negros de seu país.

Em 2004, o ex-líder sul-africano se aposentou, e em 2005, anunciou que seu filho, Makgatho Mandela, morreu aos 54 anos em decorrência da Aids.

As comemorações de seu aniversário de 90 anos já se estendem por vários meses e já foram motivo de um grande concerto que ocorreu em junho em Londres.