Malvinas seguem ocupadas por "potência extrarregional", critica Argentina

País espera o apoio dos países da região na questão da soberania das ilhas

EFE |

Lima - O chanceler da Argentina, Jorge Taiana, denunciou hoje que as ilhas Malvinas seguem ocupadas por uma "potência extrarregional", em referência ao Reino Unido, e disse que conta com o apoio da região para a discussão e a resolução da disputa sobre sua soberania.

Em sua intervenção durante o plenário da 40ª Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), o chanceler argentino afirmou que o Governo de Cristina Kirchner conta com o "apoio da região para que se possa discutir e concluir a situação". Taiana disse também que a Argentina "tem ainda uma parte de seu território, as Malvinas, Geórgias (do Sul) e Sandwich (do Sul) e seus espaços marítimos circundantes, ocupados por uma potência extrarregional", em referência ao Reino Unido.

A Argentina registrou também um projeto de declaração com o qual pretende que a região reafirme seu apoio a Buenos Aires na questão da soberania das ilhas Malvinas. O projeto pede que a OEA expresse "satisfação pela reafirmação da vontade do Governo argentino de continuar explorando todas as vias possíveis para a solução pacífica da controvérsia e por sua atitude construtiva em favor dos habitantes das Malvinas".

Além disso, o projeto solicita que a região reafirme "a necessidade de os Governos da República Argentina e do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte retomarem, o mais rápido possível, as negociações sobre a disputa de soberania, com o objetivo de encontrar uma solução pacífica para a controvérsia".

A declaração seria aprovada amanhã, último dia de Assembleia Geral. A Chancelaria argentina entregou ao Reino Unido uma carta de protesto pela política britânica sobre as Malvinas na qual responde à queixa de Londres.

    Leia tudo sobre: iGargentinainglaterramundo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG