Maliki tenta atrair investidores da Alemanha

Berlim, 22 jul (EFE).- O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, começa hoje sua primeira visita oficial a Berlim, na qual tentará reforçar a cooperação política e econômica para retomar estreita relação que existia entre os dois países antes da guerra.

EFE |

A chanceler Angela Merkel, que o receberá ao meio-dia (hora local), vê um "grande potencial" para os dois países reconstruírem uma relação tradicionalmente boa, mas interrompida por ocasião da operação militar dos Estados Unidos.

O próprio Maliki ressaltou em entrevista ao semanário "Der Spiegel" que tem esperanças de que a Alemanha participe ativamente da reconstrução de seu país.

O primeiro-ministro assegurou que o fato de a Alemanha não ter participado da Guerra do Iraque não compromete as relações bilaterais, e ressaltou que seu Governo quer reforçar os laços políticos e econômicos com este país.

"Temos de reconstruir um país e os alemães são famosos por trabalhar bem e por ser eficientes. Queremos que participem da reconstrução", disse.

O Governo iraquiano espera um maior investimento das empresas alemãs, como ressaltou o vice-presidente Tariq al-Hashemi, durante a visita na semana passada a Bagdá do ministro da Economia alemão, Michael Glos.

O próprio Glos disse que a situação para o investimento no Iraque melhorou e que "a democracia progrediu" no país.

No entanto, o Ministério de Exteriores alemão informou que a situação no Iraque não melhorou o suficiente para suspender o alerta que existe atualmente em relação à segurança esse país.

Maliki se reunirá amanhã com o ministro de Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, de quem espera escutar em primeira mão como a Alemanha avalia atualmente a segurança no Iraque. EFE ih/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG