Maliki denuncia contatos entre EUA e rebeldes iraquianos

O primeiro-ministro iraquiano, Nuri Al-Maliki, disse ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que um funcionário americano manteve contato com um representante dos rebeldes no Iraque, revelou nesta quinta-feira, em Washington, o chanceler Hoshyar Zeybari.

AFP |

Em entrevista à rede estatal americana em árabe Al-Hurra, Zeybari informou que ficou "chocado" com as informações sobre uma reunião entre dirigentes turcos, representantes do "Movimento da Resistência Iraquiana" e ao menos uma autoridade americana. O encontro ocorreu na primavera boreal na Turquia.

"No governo iraquiano, ficamos atônitos com o fato de que representantes de Estados Unidos e Turquia se reuniram com representantes destes grupos", disse Zeybari, que qualificou os rebeldes iraquianos de "terroristas".

Em Washington, Maliki confirmou que a questão foi comunicada a Obama, que lhe garantiu que se houver negociações com os rebeldes, serão impostas certas condições.

"O governo americano e o presidente Obama nos garantiram que não serão tolerantes com quem mata soldados iraquianos, soldados americanos e cidadãos iraquianos (...) Deste modo, não haverá negociações entre os Estados Unidos ou qualquer de seus representantes com estes assassinos", afirmou Al-Maliki, que foi recebido por Obama na quarta-feira, na Casa Branca.

sl/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG