Maliki adverte de aumento da violência sectária no Iraque

Bagdá, 18 abr (EFE).- O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, advertiu hoje de um possível aumento da violência sectária, e pediu unidade ao país para fechar a passagem aos inimigos do Iraque.

EFE |

"Devemos ser muito cautelosos porque a discórdia sectária poderia voltar a se instalar entre nós. Da mesma forma como trabalhamos a favor do país, os inimigos trabalham para prejudicá-lo", disse Maliki em discurso aos membros do clã Bani Tamin.

"Nós quando nos irmanamos no amor à pátria vencemos o sectarismo, a discórdia e a discriminação e fechamos a porta pela qual querem se infiltrar os que desejam o mal para o Iraque", disse.

Nesse sentido, afirmou que a reconciliação nacional tem como objetivo unir o povo iraquiano em toda a diversidade étnica e religiosa sob a bandeira do país.

"Não é uma reconciliação para acabar com simples inimizades, mas nos unimos através do direito, dos princípios e do amor ao país", disse.

Maliki elogiou o papel das tribos iraquianas com o respaldo ao Governo na luta contra a rede terrorista Al Qaeda e aos grupos armados ilegais, e diminuiu a importância dos ataques e atentados cometidos pelos terroristas na última semana.

Além disso, ele reiterou o compromisso com a Constituição, apesar de ainda haver pontos a serem esclarecidos. "Devemos cumpri-la, e embora eu seja um dos que tem coisas a dizer sobre a Constituição, o texto garante a própria modificação" dessa, explicou. EFE am/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG