Maliki adverte a EUA que já passou tempo de pressionar Iraque

Bagdá, 10 fev (EFE).- O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, afirmou hoje, em Bagdá, que a aplicação de uma política inflexível em relação ao Governo iraquiano em assuntos que são de sua competência é algo que já passou, em referência aos Estados Unidos.

EFE |

Assim, Maliki respondia às declarações do vice-presidente dos EUA, Joe Biden, que recentemente pediu ao Executivo de Bagdá que acelerasse o processo de reforma política e ameaçou adotar uma política mais agressiva para impulsioná-lo.

Para Maliki, "o Iraque e seu Governo sabem de sua responsabilidade e avançam com força".

"Nós lançamos uma iniciativa de reconciliação nacional e sempre reiteramos que, se não fosse por esta reconciliação, a segurança do país não teria se estabilizado", acrescentou o primeiro-ministro iraquiano.

Maliki fez estas declarações em entrevista coletiva conjunta com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, em visita ao Iraque, onde também falou das relações bilaterais entre Bagdá e Paris.

Biden, enquanto senador democrata, foi a favor da invasão americana do Iraque, em março de 2003, e defendeu a partilha do estado árabe em três entidades - uma curda, uma sunita e outra xiita.

Antes de sua posse como vice-presidente, visitou o Iraque em meados de janeiro, e se reuniu, entre outros, com Maliki, com quem discutiu a situação no Iraque após a entrada em vigor do pacto de segurança assinado entre os dois países. EFE sy/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG