Malásia proíbe muçulmanos em show do Black Eyed Peas

Bangcoc, 28 ago (EFE).- O Governo da Malásia proibiu a presença de muçulmanos no show que o grupo americano de hip-hop Black Eyed Peas fará na capital do país em setembro, com a justificativa de que o evento será patrocinado por uma marca de cerveja.

EFE |

A proibição insere-se dentro de uma campanha estatal para limitar o consumo de álcool e em meio à polêmica gerada depois que uma modelo muçulmana foi condenada a seis chicotadas por beber uma cerveja.

O Black Eyed Peas fará um show em um parque temático de Kuala Lumpur em 25 de setembro, dentro dos eventos organizados pela marca de cerveja irlandesa Guinness para celebrar seu 250º aniversário.

Na Malásia, 60% dos 28 milhões de habitantes são da etnia malaia e legalmente considerados muçulmanos. Por isso, precisam cumprir a lei islâmica (Sharia), que proíbe o consumo de álcool.

Não é a primeira vez que os espetáculos de grupos estrangeiros são centro de polêmica na Malásia. O Governo local aplica estritas normas de comportamento aos artistas, que devem cobrir seus corpos do peito aos joelhos e não podem saltar, se abraçar ou jogar beijos ou objetos para o público. EFE grc/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG