O governo da Malásia proibiu a contratação de funcionários estrangeiros nos setores industrial e de serviços para proteger seus cidadãos do desemprego na atual crise mundial.

O governo também afirmou que, em caso de demissões, as empresas precisam demitir os empregados estrangeiros em primeiro lugar.

"Este não é o momento para os empregadores procurarem por funcionários estrangeiros", disse o ministro do Interior, Datuk Seri Syed Hamid Albar, ao jornal malaio New Straits Times. "Os primeiros a serem cortados devem ser os estrangeiros, e não os locais."

Albar acrescentou que as empresas não devem tentar driblar a determinação do governo com a introdução de novos tipos de contrato de trabalho ou projetos de outsourcing.

Segundo o editor da BBC para a região Ásia-Pacífico, Steve Jackson, mais de 2 milhões de estrangeiros - a maioria deles da Indonésia e de outros países do sul da Ásia - estão legalmente empregados na Malásia.

Geralmente, os trabalhadores estrangeiros no país são contratados para empregos não especializados com salários baixos, de acordo com Jackson.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.