Cientistas anunciaram ter descoberto a ocorrência de mutações genéticas no DNA dos animais afetados pelo Mal da Vaca Louca, o que, segundo eles, abre caminho para a detecção rápida da doença antes do aparecimento dos sintomas.

Uma equipe de pesquisadores alemães, americanos e canadenses transmitiu a Encefalopatia Espongiforme Bovina (ESB) a diferentes raças de bovinos, fazendo-os comer ração contaminada.

Depois, extraíram mostras de sangue com uma frequência mensal a fim de submeter a testes a circulação dos ácidos nucleicos, explicou o professor Christoph Sensen, que dirigiu as pesquisas.

Assim se pôde verificar que, um mês antes de se manifestarem os primeiros sintomas da doença, o código genético dos animais infectados possuía elementos que não eram encontrados no DNA quando gozavam de boa saúde.

"Estamos estabelecendo quais são as mutações e em que moemnto acontecem", explicou Sensen, professor da Universidade de Calgary.

Esta descoberta abre caminho para um teste de sangue que permitirá eliminar da cadeia alimentar humana os animais infectados, inclusive antes que manifestem os sintomas da doença, segundo os autores do estudo publicado no Oxford Journal Nucleic Acids Research.

Segundo o canadense, o teste de sangue nesses animais será algo comum em alguns anos, a um custo de dois dólares para cada 10 animais, e poderá ser realizado num prazo de duas horas.

dkj-sab/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.