Major americano admite ter sido subornado para conceder contratos no Kuwait

Washington, 9 jan (EFE).- O major retirado do Exército Christopher Murray se declarou culpado de ter aceitado subornos enquanto era encarregado dos contratos militares no Kuwait, informou hoje o FBI (Polícia federal americana).

EFE |

Murray, de 41 anos, admitiu a culpa pelas acusações de suborno e por prestar falso testemunho perante um juiz federal em Columbus, Geórgia, informou o FBI.

O órgão informou que, em 2005 e 2006, Murray trabalhou como especialista de contratos no escritório de compras de Camp Arifjan, no Kuwait, onde "foi responsável pela obtenção de propostas para contratos militares, a avaliação das ofertas e a recomendação de concessão de contratos".

Murray reconheceu que, nesse trabalho, recebeu aproximadamente US$ 225 mil de prestadores de serviço do Pentágono em troca de recomendações para a concessão de contratos por vários bens e serviços.

O FBI não disse o nome das empresas prestadoras de serviço que subornaram o ex-militar.

"Murray reconheceu que, quando voltou ao Kuwait, em 2006, como funcionário prestador de serviço, recebeu outros US$ 20 mil em subornos de um terceirizado do Departamento de Defesa em troca da concessão de um contrato de construção", acrescentou o relatório.

O major retirado enfrenta sentenças de 15 anos de prisão por cada uma das cinco acusações de suborno e pode ter que pagar uma multa de US$ 250 mil. Além disso, encara até cinco anos de prisão por falso testemunho. EFE jab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG