Mais um chefe policial é morto no México em semana violenta

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Um chefe da divisão anti-sequestros da polícia judiciária da Cidade do México foi assassinado a tiros nesta sexta-feira, disseram autoridades, em uma violenta semana na qual três oficiais do alto comando policial foram mortos. O comandante Esteban Robles faleceu em um hospital da capital, para onde havia sido levado depois de ser atacado quando dirigia um veículo nas proximidades de sua casa.

Reuters |

'Ele foi interceptado por quatro sujeitos a bordo de uma caminhonete', disse o chefe da polícia judiciária do Distrito Federal, Miguel Amelio, em uma coletiva de imprensa.

Robles levou dois tiros na cabeça, um no pescoço e quatro no tórax.

Em meio a uma onda de assassinatos de oficiais do alto comando policial e outros efetivos de classe menor que participam com o Exército em operações contra o narcotráfico, na quinta-feira foi baleado Edgar Millán, coordenador de Segurança Regional da Polícia Federal.

Millán foi assassinado com nove balas por três membros do narcotráfico que o esperavam no corredor do edifício onde morava.

Em outro episódio, na terça-feira, homens armados com rifles de assalto dispararam contra Saúl Peña, que morreu pouco antes de ser nomeado um dos cinco comandantes da polícia da cidade fronteiriça de Juárez.

Há quase três meses, um artefato explodiu antecipadamente nas mãos de um homem que iria colocá-lo em um automóvel de um chefe da Secretaria de Segurança Pública da capital. As autoridades da Cidade do México asseguram que o narcotráfico esteve por trás do ocorrido.

O governo do presidente Felipe Calderón dispersou cerca de 25.000 soldados e policiais federais para combater os cartéis da droga, mas a violência continua e durante o ano, já ocorreram mais de 1.100 assassinatos. No ano passado, foram mortas mais de 2.500 pessoas.

(Reportagem de Miguel Angel Gutiérrez)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG