Mais duas vítimas dos ataques de 11/9 são identificadas por DNA

NOVA YORK (Reuters) - Mais duas vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001 foram identificadas por meio de exames de DNA em restos mortais colhidos do local das torres gêmeas do World Trade Center, afirmou o departamento de exames médicos da cidade de Nova York nesta quinta-feira. As duas mulheres foram identificadas ao comparar o DNA dos restos mortais com um banco de dados com perfis de vítimas dos ataques, disse a porta-voz Ellen Borakove.

Reuters |

As famílias pediram que seus nomes não fossem divulgados.

Mais de oito anos depois que duas aeronaves colidiram contra as torres matando 2.759 pessoas em Nova York, incluindo 10 sequestradores a bordo, 8.876 restos mortais ainda estão sendo examinados para possibilitar mais identificações.

Dos 21.744 restos descobertos desde 2001, 59 por cento foram identificados, correspondendo a 1.626 dos 2.749 mortos. As pessoas cujos restos mortais ainda não foram identificados receberam um atestado de óbito informando que foram vítimas de homicídio, mas que o corpo não havia sido encontrado.

(Reportagem de Basil Katz)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG