Mais de 60 mil são removidos por transposição de rio chinês

Projeto, que desviará água do rio Yang Tsé para parte árida do país asiático, prevê a segunda maior remoção da história da China

EFE |

Um total de 60.886 habitantes da província chinesa de Henan foram removidos de seus lares para permitir o maior projeto de transposição fluvial da China, que desviará a água do rio Yang Tsé rumo ao árido norte do país asiático.

De acordo com a agência oficial de notícias Xinhua, os deslocados são residentes de 57 aldeias do distrito de Xichuan e foram remanejados para 63 regiões de 25 distritos diferentes dentro da mesma província chinesa. Os dados são do Escritório da Transposição de Águas Sul-Norte, ligado ao Executivo chinês e responsável pelo projeto de desvio das águas do Yang Tsé, o rio mais longo da Ásia, para abastecer as províncias setentrionais.

Até 2014 a previsão é de que cerca de 330 mil habitantes das províncias centrais de Hubei e Henan sejam removidos. Trata-se da maior remoção da história da China depoiss a construção da Hidrelétrica de Três Gargantas, que obrigou a transferência de 1,4 milhão de pessoas em 18 anos.

A segunda fase do deslocamento provocado pela transposição do Yang Tsé afetará 86.100 pessoas.

Essa é a terceira tentativa de se canalizar as águas do rio. Um primeiro ramal foi descartado no leste porque aproveitava um antigo canal de águas tão poluídas que sua limpeza chegava a custar tanto quanto o projeto de transposição. Por outro lado, um ramal ocidental significaria a construção de represas e túneis que afetariam o ecossistema do planalto tibetano.

A escassez e a contaminação das águas é um dos problemas mais graves da China, um dos países mais poluídos do mundo.

    Leia tudo sobre: chinariotransposiçãoremoçãoárido

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG