Mais de 500 pessoas morreram devido a conflito do Iraque em julho

Índice de violência do país sobe devido aos ataques do mês passado que resultaram em 535 mortes e centenas de feridos

EFE |

Bagdá - O índice da violência no Iraque voltou a subir no mês passado de julho, no qual morreram 535 pessoas, muito acima dos 284 mortos em junho passado, informaram hoje fontes do Ministério do Interior.

As fontes explicaram à Efe que, além disso, outras 1.043 pessoas ficaram feridas em julho nas diferentes províncias do país, sem incluir a região autônoma do Curdistão iraquiano.

Entre os falecidos se encontram 89 policiais e soldados iraquianos, dos quais 34 morreram em Bagdá. Do total de mortos, 176 perderam a vida em ataques na capital, acrescentaram as fontes.

As vítimas se produziram devido a ataques com quatro carros- bomba, 24 assassinatos com pistolas com silenciadores, dois atentados com cinturões de explosivos, 136 artefatos explosivos e 113 bombas.

O mês passado de junho tinha marcado uma diminuição notável da violência desde as eleições legislativas de março.

Segundo os dados da ONG Observador de Liberdades Constitucionais, incluídos em um estudo sobre os últimos seis meses, 2.405 pessoas morreram neste período, outras 7.163 ficaram feridas e 63 foram sequestradas.

O aumento de vítimas em julho acontece no meio da incerteza política pelo atraso na formação de um novo Governo em consequência das divergências entre os diferentes grupos políticos.

* Com EFE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG