Mais de 50 ativistas egípcios contrários ao bloqueio de Gaza são detidos

Cairo, 6 out (EFE).- As forças de segurança egípcias detiveram hoje mais de 50 ativistas contrários ao bloqueio econômico da Faixa de Gaza e que pretendiam levar uma carga de ajuda humanitária ao território palestino que faz fronteira com o Egito.

EFE |

Segundo declarações à Agência Efe de uma organização egípcia de defesa dos direitos humanos, a maior parte dos ativistas é membro da plataforma opositora Kifaya, do Partido dos Trabalhadores e dos Irmãos Muçulmanos, estes últimos de tendência conservadora e islâmica.

As detenções ocorreram em vários pontos do país, inclusive na capital.

Entre os detidos está o presidente da comissão para a defesa das liberdades do Sindicato de Imprensa, Mohammed Abdel Qadus, assim como o secretário-geral do Partido dos Trabalhadores, Magdi Agmed Hussein.

Esta é a segunda vez que autoridades egípcias frustram as tentativas de vários grupos opositores de romperem o bloqueio imposto contra a Faixa de Gaza, que começou em junho de 2007, depois que o grupo islâmico Hamas assumiu o controle do pequeno território após vários dias de confrontos com nacionalistas do Fatah.

No último dia 10, as forças de segurança egípcias impediram que vários veículos com ajuda humanitária chegassem a Gaza.

Um porta-voz da organização egípcia, que não quis ser identificado, disse à Efe que os detidos estão sendo tratados "com dureza".

"As ruas que rodeiam o Sindicato de Imprensa (no Cairo) se transformaram em um quartel militar no qual se posicionaram centenas de membros de forças de segurança", acrescentou a fonte.

Estes incidentes coincidem com a reabertura do posto fronteiriço de Rafah entre Egito e Gaza para permitir a passagem de 60 peregrinos palestinos que haviam viajado para Meca. EFE nq/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG