Mais de 5 milhões declaram apoio à reeleição de Uribe

BOGOTÁ - A organização eleitoral da Colômbia recebeu, nesta segunda-feira, em Bogotá mais de cinco milhões de assinaturas de cidadãos favoráveis a uma segunda reeleição do presidente Álvaro Uribe por meio de um referendo constitucional.

EFE |

A entrega dos papéis com as assinaturas foi liderada pelo secretário-geral do Partido Social de União Nacional, Luis Guillermo Giraldo, que liderou a iniciativa.

Com isso, foi formalizado o primeiro passo pró-referendo perante o presidente da RNEC (responsável pela organização do pleito e pela identificação dos cidadãos), Carlos Ariel Sánchez.

"Sonho acordado com uma Colômbia em 2014, com o presidente Uribe entregando a presidência, sem guerrilha, sem paramilitares, com todo o esforço de segurança do Estado dedicado a combater o narcotráfico", declarou Giraldo.

Um total de 5.021.873 assinaturas, 3,5 vezes mais do que as exigidas por lei, foram recolhidas com este propósito pelo Partido de Giraldo, que há mais de dois anos tenta reunir as forças que apóiam Uribe.

As assinaturas foram levadas em três caminhões blindados até a sede central da RNEC.

Elas foram reunidas desde o início de abril, quando a RNEC inscreveu o comitê de promotores deste mecanismo democrático.

O registrador Sánchez disse hoje que precisa de um mês para revisar as assinaturas e se certificar de sua autenticidade, que é o primeiro dos quatro passos previstos para este tipo de iniciativa.

Depois disso, os promotores poderão apresentar ao Congresso o projeto legal de convocação do referendo, cuja gestão e aprovação parlamentar levarão aproximadamente três meses.

A eventual lei deverá ser examinada pela Corte Constitucional, que estabelecerá se está de acordo ou não com a Carta Magna, tarefa que os magistrados deverão concluir também em três meses.

Após a declaração de constitucionalidade por parte desta Corte, o Governo terá oito dias para convocar o referendo, que a RNEC deverá organizar em um prazo de dois a três meses.

Os promotores da iniciativa esperam que a convocação ocorra em meados de 2009.

Uribe é um dissidente do Partido Liberal Colombiano (PLC), que obteve um segundo mandato de quatro anos em maio de 2006, em virtude de uma emenda à Constituição, que autorizou a reeleição presidencial por uma só vez.

Esta condição faz necessária uma nova reforma constitucional, que é a que os seguidores do governante buscam agora através do referendo, que para ser convocado precisa do apoio de pouco mais de 1,4 milhão de eleitores, que representam 5% do potencial eleitoral da Colômbia. 

Leia mais sobre: Colômbia - Uribe

    Leia tudo sobre: colômbiauribe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG