Mais de 4.000 mortos por cólera no Zimbábue

A epidemia de cólera no Zimbábue fez mais de 4.000 mortos desde agosto e deixou doente pelo menos 85.000 pessoas, declarou nesta quinta-feira o novo primeiro-ministro, Morgan Tsvangirai, que admitiu que estas cifras são dramaticamente subestimadas.

AFP |

"Esses dados estão, sem dúvida, dramaticamente subestimados devido aos casos e mortes não comunicados", afirmou o ex-líder opositor, para quem a epidemia é um "trauma nacional".

O sistema sanitário do Zimbábue, outrora um dos melhores da África, está em ruínas. Médicos e enfermeiras fizeram uma greve durante muitos meses para reclarmar melhorias nas condições trabalhistas e um aumento do salário frente à hiperinflação no país.

O pessoal médico retomou o trabalho há três semanas quando Tsvangirai aceitu formar um governo de coalizão com o partido do presidente, Robert Mugabe, mas continua sem medicamentos nem material para atender os doentes.

gm-ale/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG