Mais de 200 pessoas são retiradas de seita mórmon no Texas

As autoridades já evacuaram 219 mulheres e crianças de um rancho do Texas, pertencente a uma seita mórmon que pratica a poligamia, informou a imprensa americana neste domingo à noite.

AFP |

De acordo com o jornal "The Salt Lake Tribune", as autoridades haviam revistado apenas metade do local, após a denúncia de que um homem de 50 anos teria se casado, em 2007, com uma jovem hoje com 16 e que já seria mãe de um bebê de oito meses.

A menina, não identificada, teria telefonado para a polícia da fazenda de propriedade da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (FLDS, sigla em inglês, corrente fundamentalista mórmon), que fica em Eldorado.

A lei do estado do Texas proíbe que as meninas menores de 16 anos se casem, mesmo que contem com a aprovação dos pais.

Nessa operação, que já dura três dias, unidades especiais da polícia entraram no templo da igreja, sem incidentes, ontem à noite, depois que os líderes do lugar negaram por várias horas o acesso às autoridades.

Hoje, as autoridades continuavam procurando a jovem, o bebê e o suposto pai, enquanto assistentes sociais interrogavam outros habitantes da região.

O "Salt Lake Tribune" informou que os serviços sociais evacuaram 60 mulheres e 159 crianças para interrogá-las em uma atmosfera menos intimidadora.

A organização FLDS, dirigida por Warren Jeffs, é uma ramificação da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, com sede em Salt Lake City, da qual se separou depois que esta renunciou à prática da poligamia em 1890.

Warren Jeffs foi detido em 2006 por ser cúmplice de estupro e está pagando pena de prisão perpétua, embora continue dirigindo a seita de dentro da penitenciária.

ddl/cn/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG