Mais de 20 mortos em combates entre milicianos xiitas e tropas dos EUA no Iraque

Vinte e três pessoas morreram este domingo em violentos confrontos entre militares norte-americanos e milicianos xiitas em Sadr City, subúrbio de Bagdá, informaram autoridades das forças de segurança e fontes médicas.

AFP |

Desses 23 mortos, três são soldados americanos atingidos em diferentes ataques com foguetes contra a área fortificada da capital e conhecida como Zona Verde, e também uma base militar em Bagdá, segundo as forças americanas.

Vinte corpos foram levados para hospitais dessa localidade, de acordo com uma versão médica, confirmada por duas fontes das forças de segurança.

Os combates deixaram pelo menos 52 feridos, ressaltaram as mesmas fontes. Entre os mortos e feridos há mulheres e crianças, acrescentaram.

Pouco antes, o comando norte-americano indicou a morte de "nove criminosos" em um ataque aéreo efetuado pela manhã.

Os choques entre soldados norte-americanos e milicianos xiitas em Sadr City começaram durante a noite e eram mantidos neste domingo. A região foi cercada pelo Exército norte-americano e pelas forças de segurança iraquianas.

Segundo moradores do lugar, helicópteros Apache abriram fogo em várias oportunidades contra alvos em terra.

O setor foi completamente isolado pelas tropas americanos e iraquianos. A circulação de carros está proibida em todo o bairro.

A violência se registra depois de uma semana de relativa calma após os confrontos entre o governo xiita de Nuri Al Maliki e o movimento sadrista.

Os combates em grande escala entre milicianos e soldados iraquianos cessaram em 30 de março, depois de uma convocação de Moqtada Sadr a seus simpatizantes para que se retirassem das ruas.

No entanto, a tensão não diminui em Basra e Sadr City, onde há tiroteios esporádicos.

Neste domingo, as forças de segurança iraquianas libertaram 42 estudantes seqüestrados poucas horas antes por homens armados em Mossul.

Os estudantes viajavam em dois ônibus que foram interceptados por caminhões equipados com metralhadoras 30 km ao sul de Mossul, próximo à cidade de Jurm.

Um ônibus conseguiu furar o bloqueio e foi atingido por disparos que feriram três passageiros.

Mas o outro ônibus foi retido e seus 42 passageiros foram forçados a subir em um dos caminhões dos seqüestradores.

Os estudantes vinham de Ash Sahrqat, cidade localizada 70 km ao sul de Mossul.

Mossul, capital da província de Nínive, 370 km ao norte de Bagdá, é considerada pelo comando militar norte-americano o epicentro da luta contra a rede fundamentalista islâmica al-Qaeda.

É uma das cidades mais perigosas do país, que nos últimos meses foi cenário de diversos atentados e ataques de grande envergadura.

Na véspera, um sacerdote cristão foi assassinado a tiros próximo de sua casa no bairro de Karrada, em pleno centro de Bagdá. Yussef Adel, um sacerdote da Igreja São Pedro, foi assassinado por homens armados em um carro, que conseguiram fugir. str-hba/dm/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG